Foto de Itabaiana, Como Eu Vejo.

Luis tinha 49 anos, e era Agente Auxiliar(DER), mas trabalhava como Executor de Serviços Básicos(SSP)

Tudo começou quando por volta das 5h20 da manhã desta segunda-feira, na cidade de Areia Branca, mais precisamente na área do forródromo segundo á polícia local, houve um desentendimento entre dois jovens, o Diêgo, 22 anos, residente na própria cidade, e Álisson, que foi o autor do tiro que matou a vítima ainda no espaço em que acontecia a abertura do São João.

Esta era a 3ª moto roubada em menos de meia hora na cidade

Como a ação da políca foi imediata, o homicida foi logo preso em flagrante. Ao ser encaminhado para a delegacia de Itabaiana, o bicho pegou de novo quando Márcio, que se dizia primo de Àlisson e o acompanhava na festa, se revoltou e tomou de assalto um veículo Pálio, cor branca de um senhor que saía de casa para o seu trabalho sendo abordado.

“Sáia do carro e me dê a chave, porquê eu vou resgatar uma pessoa que acabou de ser presa aqui no forródromo”, disse Márcio, de acordo com depoimento do motorista dono do carro que ainda o teria aconselhado a constitur um advogado e não se metesse na besteira de invadir uma delegacia, pois isso seria muito perigoso.

Ao dominar o veículo, Márcio foi direto para a delegacia de Itabaiana. Enquanto isso, o dono do carro tomado na ocorrência próximo a área do forró, foi a delegacia da cidade para prestar uma queixa e pedir providências, mas o PM de plantão teria dito que nada poderia fazer naquele momento. O motorista ainda argumentou: “Mas o cara disse que vai em uma delegacia tentar soltar um preso”. De nada adiantou seu apêlo, já que o plantonista informou que na sua delegacia não havia preso algum.

Carro roubado sendo periciado na cidade de  Itabaiana

Ao chegar na regional de polícia na cidade serrana, Márcio foi á recepção e deu de cara com o “policial” Luiz. Segundo a polícia civil, o invasor teria tentado a  todo custo ver o Álisson, o identificando como seu primo e como não houve a liberação para tal, uma vez que o servidor Luiz não tinha autorização para atender o pedido, foi então quando Márcio teria atirado em Luiz que sentado estava e sentado morreu  na cadeira da recepção quando assistia a um telejornal na TV.

Em seguida, por volta das 6h20, o atirador fugiu pela Avenida sentido BR 235, quanto bateu o carro no cruzamento da rodovia de esfera federal em um meio-fio. Ao sair rapidamente do carro, tomou de assalto uma moto de um cidadão que passava no local. Pegou a BR no sentido Posto Serrano e entrou pelo desvio do Marianga para fugir de um confronto no posto da PRF, chegando a cair do veículo de duas rodas.

 Foto de Itabaiana, Como Eu Vejo.

Márcio morto na pista do Rio das Pedras

Já no Bairro da Torre, Rua do Meio, trocou de veículo mais uma vez e abordou um mototaxista. Ao fugir, foi perseguido por um condutor de um carro que teria presenciado o assalto. Assustado, caiu de novo e deixou a Biz do mototaxista logo após um Renovadora de Pneus e tomou a moto de um Moto-Táxi que chegava do Povoado Carrilho.

Márcio à partir de então já começou a ser perseguido pela polícia, tombando com ferimento grave na cabeça, e caindo no leito da pista na BR no Povoado Rio das Pedras, há poucos metros do Chafariz da comundade.  Ao lado do corpo da vítima, estava um revólver calibre 38 e muito sangue.

Os corpos de Diêgo em Areia Branca, e também de Luiz e Márcio em Itabaiana, só foram recolhidos no decorrer da manhã e se encontram no IML. Já Álisson,  foi em uma viatura do Cope, encaminhado para a capital sergipana no início da tarde.

Da redação, Roberto Carioca.