O clima era de confiança e previsão de festa em meio aos tucanos até pouco antes das 20:00 horas deste domingo, quando o candidato Aécio Neves se mantinha na frente da Presidente Dílma com mais de 88% das urnas apuradas no país, isso às 19:25 hs. O detalhe era que até alí a maioria dos votos computados eram das regiões sul, sudeste e centro-oeste onde a situação para a petista era desfavorável.

O PT ganhava no estado do Rio de Janeiro e no interior de Minas, mas perdia em Belo Horizonte e principalmente no estado de São Paulo, região sudeste. Porém as esperanças da candidata de situação ressurgiam quando eram somadas as urnas principalmente do Nordeste, onde Dilma deu um banho no tucano.

Com 88,5% dos votos apurados, a vantagem era mantida para Aécio, e já tinham assessores comemorando a vitória da oposição. Foi então que vieram ar urnas também do Norte do país, que somados aos do Nordeste, deram uma reviravolta na apuração. Desde então, Dílma superou Aécio e não mais permitiu uma reação tucana.

Para quem estava assistindo a cobertura na Band TV, ficou claro que o clima no PT era de medo e de derrota nas urnas. De repente, um assessor da campanha de Dílma que estava ao vivo nos estúdios da emissora paulista, saiu rapidamente e ao atender um ligação no celular, voltou sorridente e isso cahmou a atenção do apresentador e mediador carioca Ricardo Boechat, que não conseguiu esconder este detalhe de seus telespectadores que aguardavam com expectativa os primeiros resultados oficiais; Era uma  pista para a virada vermelha.

Diante de tudo isso, o que fica é o seguinte: Qual teria sido a reação do eleitorado brasileiro, caso a apuração fosse mostrada ao vivo desde a contagem do primeiro voto?  Teria sido mais empolgante? A festa da vitória de virada teria sido ainda maior?

Lembramos porém, que a posição do TSE em segurar os números até às 20:00 horas(horário de Brasília), foi justa, uma vez que só à partir deste momento a votação foi concluída no Acre e em parte do Amazonas.

Quando a tv aberta entrou no ar  com a site do TSE ao vivo às 20:00 horas, já tínhamos mais de 95% dos votos apurados e a candidata petista já estava à frente do tucano, o que ocorreu até o fechamento das urnas em 100%. Sendo assim, Dílma Roussef se reelege em um país dividido, mostrando forças em Minas Gerais, Rio de Janeiro, e principalmente no Nordeste, inclusive em Pernambuco, onde perdeu para Marina Silva no 1º turno.

O PT perdeu espaço em toda a região sul, e principalmente em São Paulo, o maior colégio eleitoral do país. Com a vitória em MG e PE, Dílma fez a diferença e não permitiu a Aécio ter fôlego para se sustentar na frente até o fim da apuração. A derrota principalmete no interior mineiro, já que ganhou na capital Belo Horizonte, talvez tenha sido o ponto crucial para o insucesso do tucano.

Esta nova derrota em Minas, que é o seu estado, onde a previsão de vitória e volta por cima era enorme, somado a outro insucesso inesperado pelos seus assessores, que foi a vitória petista em Pernambuco, terra de Eduardo Campos e que deu vitória a Marina no último dia 05, fez com que o nome do senador entrasse em baixa até o final.

Por Roberto Carioca, jornalista e radialista, formado pela Fenart em Brasília.