Atuando na maioria das vezes com praticamente nove jogadores de características defensivas, o time tricolor não vem decolando no campeonato, e isso tem irritado bastante a sua numerosa torcida em todo o estado.

Com um goleiro, dois alas, que se mal cobertos sobem pouco, três zagueiros e três volantes, deixando apenas dois homens de ataque mais à frente, o tremendão não tem feito mesmo boas atuações, inclusive nas raríssimas vitórias obtidas na competição até o momento.

Com praticamente nove atletas atrás, e apenas dois no ataque, a tendência é mesmo estar sempre  dominado no meio-campo, e mais perto da derrota, do que da vitória, afinal há um ditado que diz: Quando um time encolhe, naturalmente o outro estica.

Entrar em campo com medo de buscar a vitória, o deixa bem mais perto da derrota. E é isso, que ao nosso modo de analisar, está acontecendo com o glorioso Itabaiana, e não é de agora. Tudo isso sem falar na disposição vista nos nossos adversários, muitas vezes tecnicamente mais fracos que a gente. E é nesse momento que a vontade e a garra supera o talento, com certeza.

Entrar em campo com Ivan, Carlos Alberto(Rôni), Rogério Paraíba, Sílvio, Rogério Sodré, e Nininho na defesa. Edinho, Q-Bôa e Anderson no meio, e apenas Wílson Júnior e Gilmar(Diêgo Silva) no ataque, é muito pouca pretensão para um clube da força e tradição que tem a Associação Olímpica de Itabaiana, honra e glória do nosso futebol no Nordeste do país, gente.

E quando eu denominei o time acima descrito, nada vai contra os atletas que relacionei, afinal eu já disse inclusive no rádio, que temos bons jogadores no atual elenco, mas temos alguns também que realmente tem deixado a desejar demais, torcedor amigo, pricipalmente pela falta de interesse no jogo em que participam.

O que questiono, ao definir anteriormente a equipe que geralmente vem entrando em campo, é o sistema de jogo empregado taticamente. Atuar com 1-3-5-2, segurando o goleiro e seus três zagueiros lá atrás, protegidos por um trio de volantes, e disfarçadamente liberando  seus dois “alas”, imaginando surpreender seus adversários com dois jogadores praticamente isolados no ataque, isso não vem dando certo, e nunca dará, gente amiga.

Que tal colocar um time em campo com seu arqueiro no gol(Ivan), dois laterais(C. Alberto na direita e Nininho ou Édson na esquerda), dois zagueiros(Sílvio e Rogério ou André Nunes), tendo ainda dois volantes(Anderson e Edinho ou Q-Bôa), com David ou Diêgo Sílva(Meia), e Júnior Santos encostando mais nos homens de frente  revezando com Wílson Júnior, e um atacante de área(Gilmar ou Reinaldo) jogando em cima da zaga adversária?

Porquê não tentar um time assim em campo? Ou até mesmo com o Diêgo Silva pela direita e Rafael na esquerda caindo pelas extremas ofensivamente  e Wílson Júnior enfiado no ataque. Ou até com Wílson chegando para encostar em Reinaldo ou Gilmar investindo nas bolas pelo alto. Não seria este o time que o torcedor tanto quer ver no atual campeão sergipano?

O que não se aceita mais, é ver o Itabaiana entrando em campo como um time pequeno, e sem poder nenhum de reação nas partidas.

Esperamos que com esta análise, possamos contribuir de maneira satisfatória para uma verdadeira arrancada no campeonato, já nesta tarde de sábado com uma grande vitória diante do América na cidade de Maruim.

Tá dada a sugestão. Eis a nossa opnião, afinal descrevemos agora aquilo que possamos chamr de uma crítica construtiva, mostrando aquilo que enxergamos como falha, mas apontando em seguida, o que vemos como o caminho da salvação, da volta por cima, antes que tudo seja tarde demais, galera.

Da redação, Roberto Carioca.