Inteligência – Você Concorda?

Após polêmica sobre a existência de suplementos para inteligência, órgão que regulamenta os medicamentos no Brasil, a ANVISA estuda proibir a comercialização destes produtos no país. Estudantes, concurseiros, celebridades e até muitos empresários de sucesso que já alegaram terem obtido resultados com os tais medicamentos contestam. – Confira na matéria:

Depois de muitos processos judiciais e confusões envolvendo concursos, universidades e escolas e o uso destes suplementos por parte de alguns candidatos e alunos, ANVISA estuda proibir a comercialização das Pílulas da Inteligência para erradicar estes escândalos motivados por supostos casos de “dopping” .

 

Uma história que tem causado muita polêmica entre as pessoas e que até já tomou espaço da mídia nacional, como mostrado no Fantástico, agora o assunto chega ao órgão máximo de controle de medicamentos no Brasil, a ANVISA. Regulador estuda a proibição da fabricação e comercialização das chamadas Pílulas da Inteligência, produtos que prometem aumentar a inteligência e o foco, transformando o cérebro humano em uma super máquina.
Inspirados pelo filme americano “Sem Limites”, onde o personagem principal, um escritor fracassado que tomou uma pílula da inteligência (chamada NZT48) se tornou bem sucedido e rico rapidamente graças ao seu aumento de inteligência, muitos boatos sobre um suplemento natural que permite que pessoas “comuns” ficarem superinteligentes quase que do dia pra noite surgiram na internet. As histórias começaram a vir à tona quando muitos concurseiros, como o caso do Gari que passou na Receita Federal, estudantes, vestibulandos e candidatos do ENEM (com o conhecido caso do Bernardo, que chegou a ser detido pela polícia inclusive) foram vítimas de processos para anulação de seus resultados por “dopping”, uma vez que eles utilizaram tais suplementos (todos os casos utilizando o mesmo produto, o Actus) e obterem sucessos impressionantes, alguns até como primeiros colocados em suas respectivas disputas.

Mesmo que todos os casos noticiados fossem reais e os candidatos e alunos foram inocentados e ficaram livres para continuarem com seus cargos e estudos, a ANVISA quer acabar com este tipo de escândalo e evitar processos desta natureza. O órgão admite que não teria motivos clínicos para proibir o uso de tais pílulas da inteligência, como o Actus, único que até hoje apresentou os resultados de real aumento de inteligência e foco, pois em pesquisa descobriu-se que se trata de um nootrópico, uma substância usada para aumentar o potencial cognitivo do cérebro humano. A fórmula já é comercializada nos EUA, e agora está sendo distribuída no Brasil pela empresa Qualydade Vida, única distribuidora e detentora da fórmula original no país.

Nos Estados Unidos a fórmula já deu muito o que falar, e megaempresários, cientistas proeminentes e diversas celebridades de Hollywood declararam utilizá-la. Alguns cientistas chegaram a afirmar que a pílula dá uma vantagem injusta àquelas pessoas que a tomam, e querem que o suplemento seja proibido. Ainda nos EUA, estudantes das melhores universidades do país, como Harvard e Stanford, afirmam que fazem uso diário do suplemento para aumentarem seu desempenho.

O lançamento da pílula também causou polêmica aqui no Brasil, quando empresários e banqueiros (que já faziam uso da fórmula) resolveram processar a empresa responsável pela venda de Actus. A alegação era de que o preço do composto deveria ser mantido a valores altos, pois caso a chamada “fórmula do sucesso” fosse vendida a preços muito acessíveis, poderia haver um desequilíbrio na economia. O processo ainda corre na justiça, mas Actus continua sendo vendido pelo seu preço original, segundo o fabricante.

A revista americana Forbes (responsável por divulgar a lista das pessoas mais ricas do mundo) fez uma matéria especial sobre Actus, chamando-o de “Viagra para o cérebro”.

Após realizar testes com mais de 2000 indivíduos, o Instituto de Neurociências da Universidade de Miami, nos EUA revelou que Actus aumentava a atividade cerebral ligada à memória em 138%, e àquela ligada ao raciocínio lógico em 85%.

Participantes realizaram testes de QI antes e depois de tomarem a pílula, e na média viram um aumento de 42 pontos no seu QI (a média brasileira é de 86). Ou seja, a maioria das pessoas consegue aumentar o seu QI em quase 50%!

O Instituto de Neurociências da Universidade de Miami realizou um teste com mais de 2000 indivíduos. 97% deles apresentaram resultados similares aos mostrados na foto, com a ativação das áreas cerebrais ligadas à memória, raciocínio e pensamento lógico.

Para medir o desempenho dos participantes, foram realizados diversos testes de lógica, memória e raciocínio. Dos participantes que tomaram Actus, 97% tiveram uma melhora no seu desempenho. A maioria relatou sentir-se relaxado, focado e à vontade durante a bateria de testes que duraram até 6 horas.

Ficou clinicamente comprovado que Actus:

  • Acelera o raciocínio em 85%
  • Aumenta o QI em média em 47%
  • Inibe a atividade nas áreas do cérebro relacionadas ao stress e cansaço
  • Aumenta a capacidade de memorização em 138%

Nós fizemos o teste: Actus é tudo isso mesmo?

Com tantos elogios da mídia e diversas opiniões de pessoas que usaram e aprovaram Actus, nós aqui do portal decidimos verificar se o suplemento realmente era aquilo tudo que prometia ser. Achar voluntários não foi difícil, pois quase todos da redação se ofereceram pra testar. No final, resolvemos escolher nosso editor-chefe, Carlos Ferreira, para ser a cobaia. Abaixo segue o relato dele após 2 semanas tomando Actus:

 


Aqui estão seus Resultados…

Para começar nosso estudo, a primeira tarefa foi encontrar um frasco de Actus. Devido à grande procura, nós tivemos de esperar 2 semanas para conseguir comprar, pois estava esgotado no site oficial.

 

No primeiro dia, eu tomei uma pílula de manhã ao chegar ao escritório, e segui minha rotina normal. Talvez uns 20 a 30 minutos depois, comecei a sentir uma sensação diferente. Eu só posso descrever se minha mente estivesse muito calma, em silêncio. Era como se eu recém tivesse acordado, um pouco zonzo, mas era muito diferente. Estava zonzo, mas ao mesmo tempo super focado. Comecei a me sentir muito bem, e dei conta de todos os meus emails que tinham acumulado durante a semana em menos de 45 minutos.

 

O tempo parecia passar de uma forma diferente, e eu já tinha terminado todas as minhas tarefas para aquele dia antes mesmo das duas. Comecei a trabalhar em uns projetos pessoais, e me sentia tão revigorado que resolvi ir à academia, coisa que já não fazia há meses.

 

Durante os outros dias que tomei Actus, os efeitos foram os mesmos: meu tempo na redação era muito produtivo, eu conseguia pensar com muita clareza e resolver problemas difíceis em poucos minutos. Todo mundo ficou impressionado com meu desempenho, e alguns dos meus colegas começaram a tomar também logo que viram o efeito que Actus teve em mim.

 

Após 2 semanas tomando Actus, eu posso dizer que ele é realmente tudo o que promete ser, e mais. Eu particularmente já havia tomado modafinil (um remédio controlado) para o mesmo fim, mas Actus é de longe a melhor coisa que já experimentei, e o melhor de tudo, sem efeitos colaterais.

Actus é seguro?

Quando as pessoas ouvem falar dos efeitos de Actus, muitos se perguntam quanto aos efeitos colaterais de um suplemento com tamanho poder. Afinal, estamos acostumados ao fato de que drogas que aumentem a capacidade humana (tanto física quanto mental) tenham algum tipo de prejuízo para saúde.

Felizmente, este não é o caso com Actus. As substâncias contidas no suplemento são de origem 100% natural, e já vêm sido usadas isoladamente há séculos, sem nenhum prejuízo. Além disso, após diversos testes clínicos, nenhum paciente apresentou sinais de efeitos colaterais.

Apesar disso, é importante dizer que trata-se de um suplemento poderoso, e o fabricante recomenda não ultrapassar a dose diária de UMA pílula ao dia.