Dois radialistas que transmitiram o jogo entre Atlético e Olimpia, na final da Libertadores, morreram na manhã desta quint(25)

       Veja na foto acima, a equipe já no Mineirão no intervalo da Voz do Brasil

O narrador da Rádio Mega FM, Maurício Leandro, e o comentarista Fernando Brettas (os dois no centro da imagem) morreram em um acidente de carro na madrugada desta quinta-feira (25). O repórter de pista Mauro, à nossa direita com o celular na mão esquerda,  e que viajava no banco trazeiro, sobreviveu. Já o operador de externa Simplício, senhor em pé, e com a mão direita erguida, preferiu dormir no hotel e só voltar na manhã seguinte.

 Os dois, junto com um outro cronista esportivo, estavam em Belo Horizonte/MG na noite de ontem para transmitir a final da Copa Libertadores da América, entre Atlético/MG x Olímpia, vencida pela equipe brasileira nos penaltis. Após a transmissão, os três resolveram voltar a Brasília. Simplício Santos, que também participou da transmissão, já estava hospedado em um hotel da capital mineira e não retornou com a equipe.

 O carro em que os quatro estavam, um Hyundai Elantra, perdeu o controle, saiu da pista e só parou após bater em uma árvore no quilômetro 370 da BR-040, próximo à cidade de Felixlândia/MG. Os dois ficaram presos às ferragens e não resistiram aos ferimentos. Mauro Jácome, o cronista esportivo que acompanhava Maurício e Fernando na viagem, foi encaminhado ao hospital da cidade de Felixlândia apenas com ferimentos leves.

 Maurício já passou por diversas emissoras, como Nacional AM, Jovem Pan AM (onde coordenou a equipe de esportes por cinco anos), Transamérica FM, Executiva FM, Bandeirantes AM e, por último, a Mega FM. Fernando participava como comentarista nas transmissões.

 Para o presidente da Associação Brasiliense de Cronistas Desportivos, Jaércio Barbosa, Maurício era um abnegado pelo esporte. “Quando eu cheguei a Brasília, ele não estava no rádio. Mas vi que o grande destaque foi quando ele coordenou a equipe de esportes da Rádio Jovem Pan. É uma grande perda para o rádio esportivo. Para ele, não tinha hora, não tinha minuto. Onde tinha um evento grande, ele queria estar lá”, afirmou Jaércio.

 Em nota, a Rádio Mega FM lamentou o ocorrido. “A Rádio Mega FM lamenta muito o acidente. Que a alegria, competência, visão e amor pelo futebol fiquem sempre marcados na rádio. Hoje é um dia em que a Mega, infelizmente, não vai cumprir o seu papel de alegrar os ouvintes, afinal todos os profissionais estão sentidos”, diz o texto.

 Além de trabalhar como cronistas esportivos, Maurício Leandro era perito da Polícia Civil e Fernando Brettas era publicitário, atuando na agência Sette Graal. O horário do velório e do enterro ainda não foram confirmados.

Da redação, Roberto Carioca com o apoio de informações da ABCD/DF.